sábado, 6 de junho de 2015

Trajetos

"Para mim, andar de moto é uma filosofia de vida. E muitas vezes ela se resume em uma frase: 'A vida não é esperar a tempestade passar, é aprender a andar na chuva!' Disso eu tenho certeza. Vou tentar ilustrar melhor.
A fantasia mais comum sobre andar de moto é a de cruzar longas estradas vazias, cruzando paisagens como as do deserto americano, em um belo dia sem nuvens. Cabelos ao vento, o sol brilhando sobre o metal e o ronco do motor se espalhando por quilômetros. Depois de um dia inteiro rodando, você para em um bar repleto de pessoas como você e vai tomar uma cerveja ao som de um blues ou rock and roll. Mas quem anda de moto, sabe que isso não existe. Você vai sair de casa, e enfrentar trânsito, buracos e pessoas falando ao celular, doidas para derrubar você. Quando você finalmente chegar na estrada, ela não estará vazia, e você terá que disputar espaço com caminhões, que vão esperar até você estar bem perto para atacar com aquela nuvem negra de fumaça, que impregna até a alma. Se for um dia quente, sua jaqueta irá se transformar em uma sucursal do inferno no momento que você começa a reduzir a velocidade. Mas se o dia estiver frio, o vento vai procurar a mais ínfima brecha da sua roupa, e entrar com força total congelando seus ossos. Ao parar, os cabelos ao vento são substituídos pelo cabelo amassado, e você fica com aquela aparência de quem acabou de acordar aonde quer que vá. Dependendo da distância percorrida, você vai estar tão moído que vai querer dormir de botas sobre a cama. Foda-se o bar…
E é justamente por isso que eu gosto tanto de andar de moto.
Esses pequenos incômodos me fazem estar presente em cada momento da pilotagem. Nenhum outro veículo deixa você tão próximo dos elementos. Você sente na pele as mudanças de temperatura, os cheiros de cada local, se conectando de alguma forma com aquelas cidades passando rapidamente ao seu lado. A chuva que cai sem aviso, a sujeira na pista, o calor, o frio, o vento, as imperfeições, tudo isso me faz sentir como se eu estivesse em uma aventura.
É por isso que se vive mais em alguns minutos em cima de uma moto, do que algumas pessoas vivem numa vida inteira." (Old Dog Cycles)


Trajeto precorrido na viagem desse ano. Serra/ES - Belo Horizonte/MG - Congonhas/MG - Belo Horizonte/MG - Ribeirão Preto/SP - Maringá/PR - Foz do Iguaçu/PR - Puerto Iguazu/Argentina - Curitiba/PR - Blumenau/SC - Florianópolis/SC - Serra do Rio do Rastro/SC - Florianópolis/SC - São Paulo/SP - Santos/SP - Rio de Janeiro/RJ - Serra/ES (+ de 5500km)

quarta-feira, 3 de junho de 2015

Considerações finais

Essas são as minhas impressões sobre a viagem com algumas imagens e vídeos que não foram postadas anteriormente e os dados gerais como simples curiosidades ou para serem usados por alguém que precise. 
Dessa vez vai ser muito difícil escolher um pior trecho já que a grande maioria das estradas que percorri estão bem danificadas e as que estavam boas quando passei em outras viagens estão arrebentadas principalmente por caminhões. Como já citei na postagem anterior, eu não tive grandes problemas nessa viagem mas ainda assim passei por dois grandes cagaços. O primeiro foi na BR265 indo para Ribeirão Preto, era noite e passou um grande vulto na frente da moto. Se eu tivesse atropelado talvez fosse fatal pois era uma reta e eu estava muito rápido. Presumi que fosse uma Jaguatirica grande e acho que era isso mesmo pois ao olhar depois na internet vi que no norte de São Paulo tem essa espécie. O segundo foi chegando em Londrina na BR369 a noite, estava a 120km/h em uma grande reta e do nada na rodovia abre um trecho de chão sem asfalto, não deu nem tempo de freiar pois não tinha nenhuma sinalização indicando o perigo. Para quem não sabe, o resultado da soma de uma motocicleta estilo custom e estrada de terra é uma só, queda! Entrei com a moto dançando muito e fui freiando com o freio traseiro e tentando manter a calma. Levantou uma poeirada e após conseguir parar, com o coração na boca, o carro que veio atrás também parou para ver se estava tudo ok. Foi um trecho de no máximo 500 metros mas que quase me derrubou, e seria uma queda feia.
Curioso que sempre vejo muitos acidentes em minhas viagens, até por isso costumo dizer que nossas rodovias são um campo de guerra, mas dessa vez não vi nenhum.
Sobre a gasolina, de todos os estados que passei a gasolina mais cara é no Espírito Santo seguido pelo Rio de Janeiro. Gostaria realmente de entender essas contas já que no sul é bem mais barato e no sudeste o mais em conta (porque barato é difícil) é o de Minas Gerais que também não tem refinaria. Existe uma lógica ou cada estado coloca o preço que quer?
Enfim, vamos aos dados.

Pior trecho de rodovia:
É engraçado que olhando as postagens finais dos anos anteriores sempre cito a BR101 aqui do estado, mesmo não a escolhendo como a pior e infelizmente dessa vez não é diferente. O trecho do Rio de Janeiro até Vitória o asfalto não está tão ruim, mas pelo fato de ter muitos caminhões e ônibus e continuar sendo pista simples (uma faixa de cada lado) mesmo depois de ser cobrado pedágio me fez escolher ela dessa vez.

Melhor trecho de rodovia:
A BR333 de Ribeirão Preto até alguns quilômetros antes da divisa com o Paraná além de ser um tapete sem nenhum buraco, retas gigantes, poucos veículos. também tem muita natureza com lagos, rios, montanhas e florestas.

Trecho mais chato:
Na BR262 pois choveu muito até Manhuaçu e como tive que diminuir a velocidade por causa da chuva e das curvas cheguei em Belo Horizonte de madrugada e muito cansado.

Trecho mais bonito:
Sem dúvida a BR390 subindo a Serra do Rio do Rastro.

Cidades mais bonitas:
Foz do Iguaçu, Florianópolis e vou colocar Santos também pois apesar de ter ficado pouquíssimo tempo o visual em torno da cidade é de cair o queixo.

Gasolina mais barata:
R$2,82 em Florianópolis.

Gasolina mais cara:
R$3,95 na BR262 ainda no ES.

Lista de albergues e hotels ao longo da viagem:
Belo Horizonte - Hostel Lá em Casa - http://laemcasahostel.com
Ribeirão Preto - Village Motel - http://www.villagemotel.com.br
Maringá - Príncipe Hotel - https://www.facebook.com/PrincipeHotelMaringa
Foz do Iguaçu - Hostel Paudimar Falls - http://www.paudimarfalls.com.br
Curitiba - Hostel Roma -  http://www.hostelroma.com.br
Florianópolis - Hostel Floripa - http://floripahostel.com.br/
São Paulo
- Hotel Fliper - https://www.facebook.com/pages/Hotel-Ideal-Fliper/321608914611225
- Hostel Sampa - http://sampahostel.com.br/

*Obs: O hostel que citei anteriormente que fez cagada e que não indico é o Hostel São Paulo Downtown. Já até fiz uma reclamação para a rede Hi Hostel. Site: http://www.hostelsp.com.br

 Congonhas

video
Arte em Belo Horizonte

video
Trabalhos do Jairo Guedz com miniaturas

video
Homem de Ferro no Museu de Cera Dreamland

video
Ciudad del Este também conhecida como Grande Camelô

video
Araras



video

Cataratas do Iguaçu

Vídeo de uma parte da subida de moto na Serra do Rio do Rastro

Uma curiosidade do dia que fui a Serra é que havia mais de 20 dias que estava chovendo e/ou nevoeiro todos os dias o que impossibilita ter uma boa visão durante a subida e no mirante, mas nesse dia dei a grande sorte de estar sol e o tempo firme. Alguns motociclistas que também subiram nesse dia falaram que foi muita sorte conseguir um dia bonito desse na minha primeira vez.

video
No mirante. Gravado por amigos.

Vídeo da parceria entre golfinhos e humanos em Laguna/SC, cidade que passei do lado. Já tinha visto esse documentário da Discovery a muito tempo mas nem me lembrei. Próxima trip que passar por Santa Catarina, Laguna com certeza será uma de minhas paradas.

video
Eu e Marcio gastando e cantando Flaw

"Eu escolhi viajar. Não para ser um turista, mas para descobrir a beleza da vida – para me lembrar que não estou completo. 
Enquanto você é jovem, deve viajar. Você deve ter tempo para ver o mundo e experimentar a plenitude da vida. Passe uma tarde sentado em frente ao Michelangelo. Ande pelas ruas de Paris. Escale o Kilimanjaro. Percorra a trilha dos Apalaches. Veja a Grande Muralha da China. Quebre o seu coração pelos “campos de morte” do Camboja. Nade através da Grande Barreira de Corais. Estes são os momentos que definem o resto de sua vida, eles são as experiências que ficarão com você para sempre.
Viajar muda a sua vida como poucas coisas podem mudar. Viajar vai te colocar em lugares que te forçarão a pensar em questões muito maiores. Você vai começar a entender que o mundo é, ao mesmo tempo, muito grande e muito pequeno. Você terá mais respeito pela dor e sofrimento, visto que dois terços da humanidade lutam para simplesmente garantir uma refeição a cada dia.
Enquanto você ainda é jovem, ganhe cultura. Conheça o mundo e as pessoas maravilhosas que nele vivem. O mundo é um lugar deslumbrante, cheio de obras de arte. Veja.
Você não vai ser sempre jovem. E a vida não será sempre apenas sobre você. Então, viaje, jovem. Experimente o mundo. Torne-se uma pessoa de cultura, aventura e compaixão. Enquanto você ainda pode.
Não desperdice esse tempo. Você nunca vai tê-lo novamente. Você tem uma oportunidade crucial para investir na próxima temporada de sua vida. Tudo o que você semear, colherá. Os hábitos que formamos nessa fase, ficarão com você para o resto de sua vida. Então, escolha sabiamente esses hábitos.
E se você não é tão jovem como gostaria (alguns de nós), viaje mesmo assim. Pode não ser fácil ou prático, mas vale a pena. Viajar permite que você se sinta mais ligado aos seus companheiros, aos seres humanos, de uma forma profunda e duradoura. Em outras palavras, viajar te torna mais humano.” (Jeff Goins)

sexta-feira, 29 de maio de 2015

Início e fim

Na postagem anterior esqueci de colocar os pedágios dos trechos percorridos. De Curitiba a Florianópolis passando por Blumenau foram 2 de R$0,95, de Florianópolis a Serra do Rio do Rastro (ida e volta) foram 4 de R$0,95. de Florianópolis a São Paulo foram 3 de R$0,95 e 6 de R$1,00.
Depois de postar fui me encontrar com o Leo na estação Vila Madalena, tomamos várias, conheci alguns amigos dele e terminamos a noite em um posto aonde encontramos o Agnaldo Ferreira, vulgo poeta, ao qual de início achamos ser um bêbado qualquer mas a medida que fomos conversando vimos que não era apenas um bêbado. Um cara talentoso e gente boa com seu urso de estimação e sua flauta. Várias risadas em São Paulo com meu brother Leo. Valeu man!


 Gastação
video

Na terça, fiz o check out, arrumei as minhas coisas e fui dar uma volta em São Paulo, a primeira parada foi a Necrópole, um cemitério muito bonito, cheio de lindas esculturas e tranquilo como deve ser um cemitério. Fiquei um bom tempo rodando e observando as esculturas pois é um cemitério muito grande.












Essa achei uma das mais bonitas


 De lá fui ao Instituto Tomie Ohtake aonde está tendo a exposição Joan Miró: A Força da Matéria.

















E depois para uma visita a Cervejaria Nacional, que apesar de não poderem me atender pois estavam todos ocupados na produção da cerveja Sa´si, me trataram muito bem.






Arte

Então segui para Santos me encontrar com o Zhema e o Arthur no bar studio do Arthur. Idéia genial de fazer um estúdio dentro de um bar, ambiente muito bacana e os dois são muito gente boa. Eu estava pela primeira vez em Santos mas infelizmente não consegui dar uma volta para conhecer. E mais uma vez me espantei pois na Imigrantes também não é cobrado pedágio de motos (de carro é R$22). Aliás, rodar na Imigrantes foi uma surpresa, montanhas para todo lado, névoa, lindo demais!





 ♪ Os portais do inferno se abrem... ♬


De lá segui para São José dos Campos pela Rodoanel. Apenas um pedágio de R$2,70 neste trecho. Iria visitar a fábrica da Baden Baden que fica em Campos do Jordão mas resolvi seguir para o Rio de Janeiro. No final de viagem já fica muito cansado e a maior vontade é chegar logo em casa. Pensei também em ir para o Rio pelo litoral para conhecer Tiradentes, Paraty, Angra do Reis mas resolvi deixar para uma outra viagem, eu não apreciaria essas cidades corretamente. Passar pelo litoral foi dica de várias pessoas, que disseram que as cidades são muito lindas.
Chegando ao Rio fui direto visitar minha tia Chica e minha prima Bete. Fui recebido pelo cachorro bagunceiro, Yngho que não para quieto um segundo. Acabei nem tirando foto com elas mas é sempre bom visitá-las!

 O cachorro das pilhas duracell

Vamos brincar?
Remodelando os móveis

Depois da visita fui rever o meu amigo Márcio na Lapa. Muita bebedeira, um churrasco de última hora no apartamento, muitas (muitas mesmo) risadas, mais bebedeira, música, nostalgia... Valeu mais uma vez pela hospitalidade e zoeira. Nos vemos em breve! Mas me diz uma coisa, qual é mesmo o resultado de R$54 dividido por 2? "Deixa que eu resolvo aqui!" huehuehue

 Gastação eterna
 YO!

Cortando carne estilo fuckin shit!

Gif zoeira

Acordei tarde, arrumei as coisas na moto, passei antes no Museu de Arte Contemporânea de Niterói. Tirei algumas fotos e parti para Vitória.




 ♪ O Rio de Janeiro continua... ♬
 MAC

 A motoca posando para a última foto da trip

No trecho de São José dos Campos ao Rio de Janeiro foram 2 pedágios de R$1,35 e 1 de R$2,60. Do Rio de Janeiro a Vitória foi 1 na ponte Rio x Niterói de R$2,60, 4 de R$1,95, 1 de R$0,95, 1 de R$1,75 e 1 de 2,10. Porque pagamos pedágio nesse último trecho citado? A BR101 continua um lixo principalmente de Campos em diante, com pista simples, cheio de caminhão e ônibus e muito perigosa! Duplicar que é bom, nada! Ao todo gastei R$123,24 só de pedágios! Lembrando que os valores do Paraná são irreais e imbativelmente caros (e soube que os donos da concessão são os próprios políticos de lá), duvido que tenha pedágios mais caros no Brasil, e que surpreendentemente tem 2 trechos em São Paulo que não cobram de motos. Com esse valor eu encheria o tanque da moto umas 4 vezes!
21 dias de trip, finalmente em casa, conheci lugares e pessoas incríveis, inclusive algumas pessoas do qual me considerava fã em minha adolescência, conheci lugares que sempre quis conhecer, foi uma das viagens mais tranquilas que já fiz em todos os sentidos, a minha companheira de viagem se portou como uma verdadeira dama na estrada, não rolou nenhum problema considerável o que também contribuiu para que a viagem fosse tranquila. Tenho falado em trocar de moto já a algum tempo mas sempre que estou perto de fazer lembro de todas as viagens, os papos que tenho na estrada sozinho com a minha motoca, os perrengues que já passamos juntos, todas as estradas e natureza que testemunhamos e sinto que está cada vez mais longe o momento que vou ter coragem de me separar dessa lindeza que sempre me leva e me traz de volta!
A próxima postagem será só as considerações finais com todos os dados como sempre rola no final de cada trip e alguns vídeos que vou editar porque estão gigantes.
Muito obrigado a quem acompanhou e espero que tenham aqui informações úteis para quem um dia possa pegar algum desses roteiros!